9.3.08

A Lili

Que susto que apanhei com a Lili. 6ª feira foi um dia negro. Tão pequenina, tão frágil e doente. Mas está a recuperar. Bebe, come e dorme bem. E, para consolo da dona, até já dá uns sinais de traquinice. E mosdisca.
Que grande susto.
Agora põe-te boa, Lili, que o Boss está desejoso de ir levar umas patadas e abracinhos daqueles que tu costumas dar de surpresa...

21 comments:

Zig said...

Que recupere depressa!

Teresa said...

O que tem a Lili? Ou o que TEVE, espero! Estes tolinhosão-nos cada aflição! Queremos a Lili boa muito depressa!

caniche vagabundo said...

boas melhoras, Lili!

Van Dog said...

Obrigado. Chegámos agora do veterinário e está tudo muito bem. É uma fortalhuça, a Lili.
O que se passou é que foi esterilizada, mas a operação não correu bem e só deu para perceber dois dias depois. Noutro veterinário, fez nova operação, para corrigir o que tinha sido mal feito. Muita anestesia e muita operação para uma gatinha de +- 7 meses... E muita raiva e dor.
Mas já anda traquinas e cheia de apetite. Uf.

gasolina said...

Ai, que ralação!

Desejos de rápidas melhoras!
Cá em casa estamos a torcer pela Lili!

Gas, Gaspar&Trio Felino

Thor said...

Pobre Lili! Eu espero que se recupere logo!

Thor

Vilma said...

Os gatos têm sete vidas! Vai-se safar! :)

Chat Gris said...

Oh Lili, põe-te boa depressinha! (como percebo a ralação da tua dona... e a raiva também)

Teresa said...

Aproveito para divulgar o nome do veterinário de Messalina e Agripina: Dr. Joaquim Henriques, é na Alameda D. Afonso Henriques. Messy, se está viva hoje, a ele o deve. EXTRAORDINÁRIO de dedicação e de amor. Coisa que se vê logo como lhes fala e lhes toca. Tem também um número para emergências, tenho uma confiança cega nele.
Se alguém precisar, é só entrar em contacto comigo.
Beijos, espero que a Lili já esteja recuperada! Beijos grandes, Lili!

Zig said...

Penso que posso falar com algum conhecimento já que levei inúmeros cães e gatos para esterilizar. Penso que seja cedo demais para uma gata ser esterilizada logo aos 7 meses, e por outro lado, uma gata tem que estar dentro de uma jaula ou box de transporte no primeiro dia após a operação. No entanto, há alguns vet's que cobram bastantes € para fazer esse tipo de intervenção sem serem qualificados ou devidamente instruídos / equipados para tal, e quando depois aconteça algo, foi - apenas e só uma gata...

Posso, no entanto, estar enganado com esta minha afirmação, mas o que está a falar é apenas e só a minha longa experiência com este assunto!

Van Dog said...

Obrigado!
A Lili continua a melhorar. Diria que agora está é com mimo a mais... :)

Obrigado, Teresa, é sempre bom ter essa informação. Ainda mais com contacto de urgência...

É verdade, Zig, todo o cuidado é pouco. Neste caso diria que houve um erro. E, pelo que me disseram, é muito mais fácil errar numa gatinha pequena. E a recuperação de uma 2ª operação também é mais delicada...

Teresa said...

Acho importante deixar aqui e agora um testemunho.

Messy (a minha adorada Messalina) é insuficiente renal crónica. Há quatro anos. Está viva graças ao Dr. Joaquim Henriques (Instituto Médico-Vererinário, Alameda D. Afonso Henriques, Lisboa, telefone 21 848 0200, ugências 91 226 1718).

Quando a grande crise se declarou (um mês de angústia que não desejo a ninguém), nem me lembrei de que a clínica tinha um n.º para urgências, estava de cabeça perdida. Como vivia em Sintra, procurei um veterinário próximo (outro de confiança, anotem, 21 929 2793/ 939 523 954)). Era domingo. Pela descrição que fiz ao telefone, o médico percebeu logo o que se passava, fez logo a pergunta-chave "Ela bebe muita água?", destacou de imediato uma colega para ir à clínica ver a minha pequenina. Que já não saiu de lá, ficou internada e a soro. A Dr.ª Gisela, que a observou, só pela palpação (e não imaginam o carinho com que lidou com Messy) disse-me logo que tudo apontava para a falha de funcionamento de um dos rins, tão diminuto ele estava. Poupo-vos os pormenores. A clínica não tinha meios de diagnóstico, normalmente encaminhava todos os doentes para... justamente a clínica da Alameda, da qual Messy era frequentadora habitual! No dia seguinte fui buscar Messy e fui levá-la ao Instituto Médico-Veterinário da Alameda. A Dr.ª Gisela já tinha falado ao telefone com o Dr. Joaquim Henriques, estava tudo a postos para a receber.
O que se seguiu foi um horror absoluto, nem vos conto. Messy ficou internada mais de um mês. Viraram-na de cima abaixo com exames. Chegou a pesar apenas 2 kg redondos, esteve pele e osso. Eu, claro, ia vê-la todos os dias depois do trabalho (as consultas acabam às 22h00, outra boa notícia). Quando ma traziam desfazia-me em lágrimas. Cheguei a perguntar ao médico se achava que era caso de... (vocês sabem... ). Ele foi categórico. NÃO! (só mais tarde viria a contar-me que chegou a dá-la por perdida, mas a minha aflição e o amor que via entre nós duas nas visitas impediram-no de dar a sentença fatal). Messy estava tão doentinha que, a certa altura, o mais importante era conseguir que ela comesse. Houve uma noite que tive de votar à clínica porque me tinha esquecido do guarda-chuva. A menina da recepção deu-me uma piscadela de olhos cúmplice e perguntou se eu queria assistir ao jantar de Messy. Nem percebi. Ela entreabriu a porta para o consultório (já fechado, eu saía de lá no último minuto possível)e dei com o Dr. Joaquim Henriques a tentar convencer uma Messy que mal se tinha nas pernas a comer, pacientemente, de lata de comida na mão, uma voz carinhosa que ainda hoje é um bálsamo lembrar.
Pelo meio tive um dilema: podia ir fazer sky (coisa que adoro), sentia-me criminosa por abandonar Messy. O Dr. Joaquim Henriques obrigou-me a ir, mandava-me sms com notícias dela.

Passaram quatro anos. Messy está viva e estabilizada (quando saiu da clínica, por uns tempos, tinha de levar soro todos os dias - o Dr. Joaquim ensinou-me a picá-la, nem preciso de dizer o horror que isso foi). Com uma dieta especial que se estende a Agri, que é impossível separar a comida das duas. Só pode comer Dr Hill's Prescription Diet KD, muito baixo em proteínas. Cada 50 gramas conquistados foram para mim motivo de celebração. Há muito tempo que anda seguramente nos 3,2 kg (houve uma altura que eu estava tão obcecada com o peso dela que a pesava umas três vezes por dia). Messy continua insuficiente renal crónica. Mas controlada. Toma três medicamentos todos os dias (a história do Lespedeza Capitata dava um livro...). Se algum dia houver um desenvolvimento... se o Dr. Joaquim me disser que a vida dela vai deixar de ter qualidade (quantas vezes lhe perguntei isso, era o mais importante), será no meu colo, comigo a fazer-lhe festinhas e a falar-lhe naquela linguagem parava que é só minha e dela, que Messy receberá a injecção. Nâo quero que ela sofra, isso nunca! Messy, a minha adorada Messalina, é das coisas mais bonitas que tive na vida. Está com 13 anos e uma condição especial. Cada dia é uma vitória.

Outro pormenor

Bixus said...

Ai! Coitadinha da Lili!
Mas ainda bem que está a recuperar.

É o que dá ficar 4 dias sem internet: as coisas acontecem e nós não sabemos :-(

Boas melhoras, Lili!

Schleps e ron-rons da família Bixus!

IC said...

As melhoras para a lili.

Van Dog said...

Obrigado :)

Teresa, percebe-se bem a admiração pelo Dr. Joaquim Henriques...
(e a Messalina é uma gatinha cheia de vontade de viver!)

Rute said...

As melhoras da Lili,

beijocas

domino said...

OH pobre Lili, como eu gosto da Lili... Só via agora! As melhoras.
Lambidelas!

cat|InConsciente said...

Beijos doces para a Lili *muah*

Bolota said...

Também só vimos agora, espero que esteja melhor!

Pandora said...

Mas o que é que a Lili teve?
Espero que ela esteja melhor.
Beijos.

Carracinha Linda! said...

As rápidas melhoras da Lili!


Emocionei-me com a história da Messy...