21.10.09

Os Olhos dos Tigres

(Por Manuel António Pina. In “Jornal de Notícias”, 21 de Outubro de 2009)

Quando era criança e me levavam ao circo, o que mais me afligia eram os olhos dos tigres. Os olhos assustados e resignados dos macacos, os olhos sem vida de leões e elefantes, os dos cavalos aos círculos na pista, rasos e desorbitados como os dos cavalos dos carrosséis, os das esquálidas pequenas trapezistas, metidas em surrados fatos de lantejoulas e fixando vaziamente um ponto abstracto acima das nossas cabeças enquanto agradeciam, hirtas, os aplausos, entristeciam-me.

Mas nos dos tigres havia impotência e orgulho ferido, como se estivessem enclausurados dentro de si e não coubessem dentro de si. Sentia que nos desprezavam e que desprezavam a parte de si que, às ordens do domador, subia e descia ridículos escadotes ou saltava mecanicamente através de arcos em chamas. E culpava-me por assistir ao penoso espectáculo da sua humilhação, imaginando que deviam (com razão) odiar-nos. A lei que finalmente aponta para o fim do abuso de animais nos circos acaba com um espectáculo tão humilhante para os animais quanto para quem (como acontece igualmente nas touradas) se compraz com a sua humilhação.

(Texto copiado do blog da Animal)

9 comments:

Dharma´s said...

Os convites que apareciam cá em casa pró Chen, vindos do emprego do pai, iam sempre pro lixo.
Nunca gostei do circo, confesso que quando era criança, nao tinha noçao destas questoes dos animais, mas nao gostava daquele ambiente nem dos palhaços, odeio palhaços.
Sou completamente a favor dessa lei, a ver se nao fica na gaveta.

lalage said...

Ao circo e ao zoológico só fui obrigada.
O Cirque Soleil é um deslumbramento sem precisar de humilhar pessoas ou animais :)

Zig said...

Bem visto! Porém, qual é a criança que pensa nisso? A grande maioria nem se lembra deste facto porque acham que um circo sem animais não é um circo.

Os tempos mudam, e ainda bem. Agora falta apenas acabar com as touradas, mas essa é uma outra história, uma história que mete muito mais barulho no assunto!

Emmy said...

Sabem,eu nunca gostei do circo...Para já, sempre tive medo dos palhaços...E depois só pensava que os animais se soltassem e ... sabe Deus.Ao Zoo fui algumas vezes. Não é que concorde que os animais estejam ali presos mas, a verdade, é que o Zoo é uma forma de preservação de espécies. E no Zoo os animais não são obrigados a agradar a quem os visita. Apenas estão ali para viver (ou sobreviver). Por isso, abençoada lei. Vamos ver se resulta.

Rita said...

Eu nunca gostei de circo e nem sequer dos palhaços gostava que me metiam medo. O circo a mim deixa-me triste...Agora o Cirque du Soleil, isso sim, isso é um espectáculo lindo de se ver. Sem palhaços e principalmente sem animais.
Festas

IM said...

Ah!!! Cá em casa a minha filha que tem 10 anos nunca foi a um circo nem quer ir...desde pequena que lhe expliquei o que lá se passava, como os animais sofriam, como devemos amá-los e respeitá-los...hoje é uma verdadeira embaixadora da causa e é fantástico que ande junto das outras crianças a explicar-lhes porque não deveriam ir ao circo. Penso que passa muito por aí...pelas crianças e pela sensibilização que fazemos. Todavia, para isso, é preciso que sejamos sensíveis. Eu aplaudo esta lei de pé!
IM&Michael

lalage said...

Com uma lágrima no canto do olho recomendo a leitura da história com final feliz do leão Cristiano: http://blog.gingko.pt/?p=606

Van Dog said...

Este vídeo consegue-nos emocionar sempre.

Dylan said...

Só perca por tardia a entrada em vigor da nova lei que proíbe o uso de algumas espécies animais em circos. Seja em que local for, a dignidade animal não é compatível com o seu exibicionismo e exploração. Grande parte dos circos modernos já não utilizam animais nos seus espectáculos usando para isso a teatralidade e as artes circenses, verdadeiras géneses do circo. Profissionalizando esses artistas circenses e inovando o sector, estão criadas as condições para que todos os animais desapareçam dos circos portugueses. É importante a consciencialização dos mais novos para que se acabe também com espectáculos deprimentes como as touradas. Como diria Axel Munthe, "o animal selvagem e cruel não é aquele que está atrás das grades. É o que está na frente delas.

http://dylans.blogs.sapo.pt/