5.10.09

O gato Lucas

Faz os barulhos mais engraçados - quando está a dormir e lhe fazem uma festa, quando a tigela com a comida apetitosa se aproxima, quando vai cumprimentar a dona.
É também um grande malandro – sabe exactamente o que quer e, se alguma coisa o irrita demais, preparem-se: o Lucas vai ter um ataque! Mas ele dá sinais. Basta reconhecê-los, afastar-se (bem) dele e ignorá-lo.
O Lucas chegou exactamente há um ano. Mas a total conquista dos corações da casa não foi imediata; levou mesmo meses. Há que conhecer o Lucas para gostar dele com todo o coração. Mas todos se deram tempo. E o Lucas, único, grande companheiro, brincalhão e muito, muito meigo, é agora um elemento da família totalmente integrado.

(obrigado à SOS Animal que resgatou o Lucas do gatil de Lisboa, o cuidou durante 6 meses, o esterilizou e promoveu a sua adopçâo)

9 comments:

pink said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Alice said...

A isso chama-se um caso de sucesso!
Lucas és um menino cheio de sorte!! :)

Idun said...

os afectos verdadeiros levam tempo a construir...

marradinhas amistosas

Gata Lili said...

Bota uma foto do Lucas! queremos ver o bichano...

Van Dog said...

Gata Lili, já está! :)

Zig said...

Bonita história! Acredito que nem sempre é fácil "incluir" um gato na família, eles são seres muito independentes e nem toda a gente aceita isso!

No caso da gata Sacha da minha filhota foi diferente. Chegou em bebé e adaptou-se facilmente. É muito meiga e sociável também :)

Qual é a tua opinião, Van, sobre as adopções dos gatos? É que, na dita "província" raramente um gato é adoptado já que é fácil para eles encontrarem um lugar para sobreviver. Na cidade deve ser diferente já que é quase só casas e estradas, barulho o dia todo e ameaças para eles em todo o lado. Por isso acho que apenas as associações em cidades grandes recolhem e dão para adopção gatos.

Thor said...

=)

Thor

Anonymous said...

Felizes daqueles que dão e recebem amor incondicional!


dona da Marla

Teodoro said...

Nós gatos somos mesmo especiais...