11.3.08

O direito a errar

Aprende-se muito com os erros. Há quem diga que, quando uma coisa corre bem, é difícil identificar exactamente porque é que correu bem. Mas quando uma coisa corre mal, em geral é fácil perceber porquê. E aprender com isso...
Eu acho que "só não erra quem não faz". E que, quando se erra, só há uma atitude a tomar: assumir o erro, e tentar aprender o mais possível com isso.
Em geral, quando os humanos erram profissionalmente, as consequências não costumam ser desastrosas. Muitas vezes são menos uns milhares ganhos pela empresa onde trabalham. Há até aquela história de um humano que comete um erro que faz com que a empresa perca milhões. Quando a administração discute o seu futuro põe-se a hipótese de o despedir. O chefe dele argumenta: "agora que ele aprendeu à custa dos nossos milhões vamos mandá-lo para a concorrência?"...
Acontece que há profissões em que o erro pode ter consequências terríveis. É o caso dos médicos. E dos veterinários. Não acho que se possa eliminar a hipótese de erro. Mas pode-se limitá-la. Tendo a noção das debilidades e fragilidades de cada um, e contando com o conhecimento, a experiência e a intuição dos outros.

11 comments:

Teresa said...

Grandes e muito sensatas palabras, Van.
Um beijo.

lalage said...

VanDog! Fiquei arrepiada com as tuas palavras! Lembrei-me dos horrores que passei com a minha pequena Isolda que morreu por causa da incompetência de um veterinário. Por favor, diz que a Lili está bem! Por favor... :(

Van Dog said...

A Lili está óptima!

Van Dog said...

Lamento que te tivesses assustado
:(
Ela recuperou muito bem.

Cléo said...

Concordo contigo VD...temos que saber muito bem quem trata de nós...e a dona nisso é exigente, por isso quando estou doente queremos a "minha" veterinária e mais ninguém!
Nem quero pensar se ela um dia mudar de clinica...vamos atrás!

Zig said...

Ainda me lembro de um episódio em que levei 2 gatas para esterilizar até Odeceixe. Por lapso meu, troquei as indicações da veterinária e minha amiga desta localidade, e ao dar um "está tudo bem com a sua gata" à dona da mesma, ela não fez os tratamentos devidos e a gata teve que ser operada novamente pois não parava de sangrar. Podes ter a certeza que a partir desse momento levava as indicações sempre muito bem escritas comigo!

Errare humanum est!

Pandora said...

é com os nossos erros e as nossas "cabeçadas" que aprendemos, e merecemos sempre outra oportunidade.
Beijos.

caniche vagabundo said...

Estás totalmente... correcto, VD!

Bixus said...

Apoiado, VD!

domino said...

concordo absolutamente!

gasolina said...

Grandes palavras, sábias.

Mas a questão é que aqui o erro não "custaría" milhões... custaría algo que não tem preço.

Fico feliz por saber que Lili está a arrebitar.

Tudo de bom!