25.10.07

Um qualquer cão abandonado

Dono…e dona, enfim,
estou velha, muito velha,
e a chegar ao fim;

e doente, muito doente também,
vou morrer, mas não quero que chorem por mim,
não guardem o vazio nesse coração lugar pequenino,
que mesmo assim,
é tão grande e onde eu cabia tão bem.


Não quero o espaço sem nada,
naquele bocado de cama, onde dormia,
ou apenas ficava deitada,
esperando uma festa ao fim do dia.

São poucos os anos que tenho,
e não dei pela vida passar,
vim cachorra para esta casa,
E velha a vou deixar.

Sei que davam da vossa vida,
anos para eu viver e sorrir,
que adiantava esse presente,
se não posso ser eu a ver-vos partir.

A saudade que vos deixo,
da minha presença aqui,
que seja motivo de orgulho,
das alegrias que convosco vivi.

Parto, mas vou feliz,
de uma vida bem passada,
tive donos que nunca quis,
pois pensava que viver era aquilo, que tinha por destino na rua onde nasci.

Obrigado...donos!

Dêem o meu lugar e o mesmo amor a outro cão de rua…Um qualquer cão Abandonado

22/10/2007

Dedicado a todos os cães abandonados, aos seus donos e à primeira cadela (Sharik) que me lembro de ter em criança.

Um cão abandonado pelo trauma que passa, reserva uma fidelidade para dar a um novo dono como nenhum outro cão pode dar.

Todos podemos e devemos contribuir para melhorar este problema.

Fernando Silva

(Obrigado ao Fernando Silva . E à Kunta)

20 comments:

yellowastronaut said...

Eu cá tenho um coração vagabundo comigo, o Yukie, que simplesmente adoro. Já nem imagino aquela casa sem ele por lá a fazer das suas... Mas é um bom amigo, muito carinhoso. Para além disso tem um sentido de proteção connosco que é demais. Até com o Minhacas, o nosso amigo gato, protege-o dos outros gatos brigentos...

Corações vagabundos, recomendo! Fazem bem à saúde!

Fica bem Van Dog

Carracinha linda! said...

Parece que essa cadela pode ter tido um mau começo de vida, mas acabou por encontrar uma casa e donos que a trataram com muito afecto.

O texto está lindo!

Também acho que quando se recolhe um cão abandonado, ele dará tudo de melhor aos seus protectores.

Bjs

Zig said...

Belo e tocante poema!

caniche vagabundo said...

Já fui mais vagabundo do que sou hoje em dia, tenho muitas casas onde ficar e sei que em todas recebo muito mimo... e por isso faço as delícias dos meus donos!!!

TH said...

Lindo poema!
Thor

Rita said...

Lindíssimo...
Eu já fiz a minha parte, fui buscar o Sr.Freddy (gato) à rua.
Festas

IM said...

Isso...é verdade, é verdade. Tirando o Michael que foi um caõ comprado (em função de uma promessa à filha) sempre tive cães abandonados que me deram uma alegria imensa e que foram de uma fifelidade inegualável....devíamos, sim, recolher animais abandonados e não comprar animais (até porque, em rigor, não saõ coisas para serem vendidos e comprados...)...eu NUNCA mais compro um cão...felizmente que ela cresceu já o suficiente para pensar assim também!

Chat Gris said...

Sou muito suspeito (adoro o meu amigo canídeo, peludo e rezingão)e portanto solidário com todos os cachorros, abandonados ou não! Já agora, eu vim pequenote ainda (de uma aldeia do Ribatejo)e fui um presente à C.
Também somos contra a compra e venda de pets!

mjf said...

Fiquei emocionada com o texto.
È dificil pensar que ainda existem pessoas que abandonam animais.
Quem não gosta de animais não pode gostar de pessoas!!!

Gaspar said...

Eu, os gatos Pipoca e Bóris e a gata Nina viemos todos directamente da street cá para casa.
Os que cá viveram antes (e eu não cheguei a conhecer) continuam a ser lembrados e acarinhados (confesso que fico um pouco sentido...)
Gostamos muito de ser da familia, de sermos uma familia.

O poema é lindo mas faz amachucar o coração... a doninha ficou com os olhos brilhantes.

Ouf!Auf!

raquel said...

Lindo poema, sem dúvida!

Lido com muitos cães abandonados, e infelizmente não são poucos. Mas podem ter a certeza que estes são os que mais carinho nos têm pra dar.

Caracolinha said...

Olá, se puderes passa na casca e assina a petição.

Divulga.

Obrigada.

Beijo encaracolado.

o_cao_que_morde said...

Um tipo que se diz artista provocou a morde de um cão numa exposição
Existe uma petição na Internet, com mais de 92 mil assinaturas, a exigir que ele não representar o seu país, a Costa Rica, na bienal de arte centro-americana de 2008
está tudo no meu Blog – O Cão que Morde
assina a petição e divulga

Platero said...

Olá Van Dog

Pela minha parte já vou na segunda cadelinha abandonada que recolho aqui em casa.

E como sabe bem a gratidão com que nos tratam.

Um abraço

Van Dog said...

Caracolinha, cão-que-morde, já assinei, sim. E fiz uma referência a esse "...".

Pandora said...

Faz-me lembrar da Julie que viveu 15 anos comigo e que também era abandonada , e um dia adoptou-me.
Beijos.

Guiduxa said...

Gostei!

Auf!

Kraak/Peixinho said...

Nos tempos actuais, um cão abandonado também é sinal de "arte"... :Z

Tudo fixe contigo, Van?

Bjzz

Van Dog said...

É verdade, Kraak... há gente para tudo...
Uauff para ti!

noctivaga said...

Van Dog achei extraordinário.