13.8.07

Ó dono...

... o meu último passeio da noite não pode ser às 9 e meia. Tem que ser às 11 e meia. Ou então temos que ir passear às 7 da manhã. Ok?

14 comments:

o_cao_que_morde said...

Fiz uma votação para os Blogs 5 Estrelas
E não é que este Blog é um dos eleitos
Nada de baba se eu votem é porque este Blog merece

Carracinha linda! said...

Acho que tens razão, VD! Impõe horários ao teu dono!

caniche vagabundo said...

Ihhhh... horários...

LisbonGirl said...

No Verão é simples, mas no Inverno...sair às onze ou às sete é cá briol! VD e Caniche, peçam para vos ensinarema ir ao WC!... Assim ninguém tem de sair para o frio, nem vocês próprios! Eheheheheh! Brrrrr!...

Ainda bem que é Agosto e pleno Verão!:))

Rute said...

Oh Van 7 da matina?lol tadinho do teu dono :S

Bjokas

Camarada Choco said...

Divulgação

Mais um Blog que se tornou um Livro!

www.camaradachoco.blogspot.com

maria cunha said...

às 7 da madrugada? ena, isso é uma tortura :)

gasolina said...

Pois é!

Estes humanos ainda não entenderam que a malta também tem a sua agenda...

Auf!Ouf!

Gaspar

(Já foste à casota da minha dona buscar a estrela que é tua?)

Sailor Girl said...

Já agora... VENHAM TODOS À REGATA DO ATLÂNTICO AZUL!!!!!

Kuka Girl said...

RAUF BRRRRAUF?????!!!!
GRRRRR!!!!!!!!!.....
(he he he)

João Barciela said...

ó caozito, tens de pensar q o dono tem de passear a melhor hora de engate!!

Puss in Boots said...

Tortura, tortura é o belo do Cisco ter um quintal, com 80 metros quadrados, mas não faz lá nenhum servicinho...

Ás 23h30, lá está ele à porta da rua para sair... e eu lá tenho de ir com ele... Seja Verão ou Inverno!!!

nice said...

Tens toda a razão! Ainda assim tenho uma certa compaixão pelo teu dono...

Mini said...

Eu tenho sorte porque a minha dona tem que passear de noite, porque tem que ir da casa1 para a casa2...

Às vezes o passeio é doloroso, se estiver a chover, ela já me conhece e sabe que eu preciso ir ao colo...

Ela tem muito mais preguiça de manhã do que noite. Deita-se tarde, fica deitada na sala, no belo do sofá, a olhar para aquela coisa que deita sons e luz, a televisão...